segunda-feira, 25 de maio de 2009


HÁ FESTAS DE REVEILLON EM TODO O MUNDO. MAS A FESTA DO RIO É ÚNICA.

Grandes shows em Copacabana, Ipanema, Barra da Tijuca, Guaratiba, Sepetiba, Ilha do Governador, Penha, Ilha de Paquetá e parque da Vizinhança de Ramos vão animar a virada do ano, com muita alegria e animação, espalhando a festa por toda a cidade. A entrada é gratuita, a paz é total e a segurança garantida. Passar o Réveillon no Rio é conhecer o que esta cidade tem de mais característico: sua natureza e a hospitalidade de seu povo. A Praia de Copacabana - O Maior Show do Ano. São 4km com fogos de artifício espocando no céu ou em cascatas das fachadas dos hotéis e de outros pontos do mar. Além disso, são montados palcos especialmente para shows. As pessoas, quase todas vestidas de branco, vindas dos quatro cantos do mundo, despedem-se do ano que está indo e brindam a chegada de um novo. Todos são cariocas, venham de São Paulo, Brasília, Amsterdã ou Nova York. Pessoas de todas as classes sociais lado a lado, em paz, em manifestações que misturam magia e devoção, religiosos fazem oferendas a Iemanjá, rainha das águas. Um show de fogos que ilumina de várias cores a beleza da Praia de Copacabana. Dois milhões de pessoas, unidas pelo espírito incomparável do Rio, saúdam-se, mesmo que desconhecidas, e vão em direção à praia fazer suas oferendas. Cada uma em seu ritual particular. O Ano Novo chegou. A Academia dos Recordes Mundiais concedeu o certificado à empresa Fireworks do Brasil de "maior Show Pirotécnico Embarcado do Mundo" no Réveillon 2008 que iluminou os 4km da Praia de Copacabana no Rio de Janeiro, por 22 minutos. Do Leme ao Posto Seis. Nos hotéis e restaurantes são apresentadas as mais variadas opções de festas, com menus preparados por grandes chefs ou bufês tropicais. Sempre com direito à atração máxima: a magnífica queima de fogos à meia-noite, que ilumina o céu de formas e cores diferentes.


video


Cidade do Samba


O mais novo atrativo turístico do Rio de Janeiro é a Cidade do Samba, a qual ocupa uma área de 114.000m2, construída pela Prefeitura do Rio, na zona portuária

A escolha da localização da cidade temática tem razão de ser, pois foi lá, espécie de “Solo Sagrado”,onde nasceu o Samba Carioca.

O triângulo formado por Saúde, Santo Cristo e Gamboa concentra grande tradição da cultura popular da Cidade, notadamente de personagens e entidades ligadas ao Carnaval Carioca.

O desenho da Cidade do Samba forma uma figura geométrica, com as fábricas circundando a praça central. Parecem partes de um grupo de mãos dadas, formando uma grande roda. É como se o mundo do samba estivesse abraçando os seus ancestrais que estiveram por aqui nos séculos XVII e XVIII, trazendo a arte da dança e da música africanos,hoje incorporada às tradições culturais brasileiras.

A cidade temática transformará as atividades das Escolas de Samba numa prática permanente. Mais do que um centro de visitação turística, a Cidade do Samba se consolida como um núcleo de produção da genuína arte brasileira.

AS FÁBRICAS DE SAMBA
Barracões

 Portões de 10m de largura por 7,5m de altura possibilitam a passagem dos carros alegóricos completamente montados.

 No último piso, de 2.700m2 funcionam os ateliês de costura, chapelaria, adereçaria, além das oficinas de isopor e modelagem em fibra de vidro.

 Um elevador de carga atende aos 4 pavimentos.

 O vão de 12m de altura permite que as alegorias sejam montadas em tamanho natural.

 De uma passarela externa o visitante percorrerá todas as fábricas, assistindo a montagem das alegorias através de vidraças e de uma varanda de 8m de altura.

A Programação Cultural da Cidade do Samba é variável. Para mais informações entrar em contato pelos tels.:(21)2213-2503 ou(21)2213-2546
www.cidadedosambarj.com.br


video

quarta-feira, 13 de maio de 2009


Prainha e Grumari


Um verdadeiro paraíso! Estas praias estão localizadas na zona oeste da cidade, ficam emtre o Recreio dos Bandeirantes e Guaratiba. Um recanto de beleza e tranquilidade. Por se tratar de uma área protegida, não existem residências no local. Suas águas cristalinas e areia branquinha são um convite à reflexão.
A Prainha é ideal para a pratica do surf e é frequentada por pessoas bonitas e saudáveis, além de muitos artistas amantes do esporte.
A Praia de Grumari é paradisíaca, sua vegetação de restinga e a Mata Atlântica ao fundo formam uma das paisagens mais bonitas do Rio.
Na região tem alguns restaurantes muito simples que servem uma comidinha muito gostosa e barata. Você não pode deixar de degustar um peixinho fresco na brasa ou outro fruto do mar que é servido sempre fresco.

Para chegar lá é um pouco difícil e oneroso, mas se não fosse assim, a região não seria tão especial.

Dicas:
Como só é possível chegar lá de carro, pegue um táxi e combine com o motorista para aguardá-lo ou retornar na hora marcada para pegá-lo. Não existe ponto de táxi no local.
Se você estiver hospedado na zona sul, vai pagar em torno de R$ 60,00 pela corrida. Se estiver com carro próprio não é difícil chegar, as praias ficam à uns 35 km de distância da zona sul e o caminho é muito bonito e seguro, é só seguir em direção à Barra da Tijuca e seguir pela orla no sentido Recreio dos Bandeirantes e finalmente subir a serrinha que dá acesso às praias.
Nos fins de semana do verão, o acesso de possoas é fechado quando a região atinge sua capacidade, garantindo a tranquilidade do local. Chegue cedo.

Se precisar de ajuda, me informe onde pretende se hospedar que eu te passo mais informações de como chegar.

Pão de Açucar

Idealizado em 1908 pelo engenheiro brasileiro Augusto Ferreira Ramos e inaugurado no dia 27 de outubro de 1912. Primeiro teleférico instalado no Brasil e terceiro no mundo, é um dos mais importantes ícones do turismo carioca, tornando-se uma das principais marcas registradas da cidade do Rio de Janeiro. Desde sua inauguração até a data do aniversário, o teleférico transportou 31 milhões de turistas. Nos meses de dezembro, janeiro, fevereiro e julho – de alta temporada – a freqüência diária chega a três mil pessoas.
Nestas nove décadas de funcionamento, o bondinho recebeu a visita de turistas de todos os cantos do mundo, dentre os quais, personalidades, autoridades e artistas, como Einstein – que lá esteve em 1925 -, os ex-presidentes dos Estados Unidos, John Kennedy, do Brasil, José Sarney, e da Polônia, Lech Walesa; os cantores Roberto Carlos e Sting; os jogadores Ronaldinho e Romário; os atores Roger Moore e Robert de Niro; as atrizes Gina Lolobrigida, Brooke Shields e Sônia Braga, e muitos outros famosos.
Segurança

Considerado um dos mais seguros do mundo pelas entidades internacionais de teleféricos de passageiros, há 90 anos o bondinho do Pão de Açúcar circula sem ter registrado nenhum acidente com vítimas. As atuais linhas são dotadas de dispositivos de segurança, com alarme em todos os pontos.
Diariamente pela manhã, antes de receber os primeiros turistas, os bondinhos saem numa viagem de vistoria. O percurso é todo programado e controlado por equipamento eletrônico, que verifica 47 itens de segurança.
O complexo turístico é formado por três estações – a da Praia Vermelha, Morro da Urca e Pão de Açúcar – interligadas por quatro bondinhos – dois no trecho Praia Vermelha/Morro da Urca e dois no trecho Morro da Urca/Pão de Açúcar. O Morro da Urca tem 220m de altura e o do Pão de Açúcar, 396m.
Vegetação rara

Cercado por uma vegetação característica do clima tropical, com resquícios de Mata Atlântica, possui espécies nativas que em outros pontos da vegetação litorânea brasileira já foram extintas, e também raras espécies vegetais, como a orquídea “laelia lobata”, que só floresce em dois locais no planeta: no morro do Pão de Açúcar e na Pedra da Gávea, ambos no Rio de Janeiro. Montanha brasileira com o maior número de vias de escaladas (até 1997 existiam 38), o Pão de Açúcar recebe diariamente centenas de alpinistas, montanhistas e ecologistas brasileiros e estrangeiros.
Pólo Cultural

Além de marco turístico e ecológico da cidade do Rio de Janeiro, o complexo também foi um importante pólo cultural. Na década de 70, passou a abrigar no anfiteatro do Morro da Urca – chamado “Concha Verde” – shows musicais que lançaram grandes talentos da música brasileira, numa programação que chegou a reunir 50 mil pessoas por ano. A Concha Verde também foi palco de badalados bailes carnavalescos, entre 1977 e 1987, como o internacionalmente famoso “Sugar Loaf Carnival Ball”. Atualmente, o anfiteatro recebe exposições de artes, conferências de empresas, coquetéis de lançamento de produtos, jantares e festas.
Desafio à engenharia

A história do bondinho está diretamente ligada ao desenvolvimento da cidade: seu idealizador, Augusto Ferreira Ramos, imaginou um caminho aéreo até o Pão de Açúcar ao participar, em 1908, de uma exposição na Praia Vermelha em comemoração ao centenário da abertura dos portos às nações amigas.
Com um capital inicial de 360 contos de réis, foi fundada então a Companhia Caminho Aéreo Pão de Açúcar e, em 1910, foi iniciada a construção do primeiro teleférico brasileiro. “Na obra trabalharam brasileiros e portugueses com equipamentos e materiais alemães, que foram transportados para o alto dos dois morros por centenas de operários realizando perigosas escaladas, numa ousada operação para a engenharia da época”, destaca Maria Ercília Leite de Castro, diretora geral da empresa.
O trecho inicial, entre a Praia Vermelha e o Morro da Urca, numa extensão de 575m, foi inaugurado em 27 de outubro de 1912, quando 577 pessoas subiram ao morro da Urca no bondinho de madeira, com capacidade para 24 pessoas. No ano seguinte, em 18 de janeiro de 1913, foi inaugurado o trecho morro da Urca/Pão de Açúcar, com extensão de 750m.
Em maio de 1969, já sob a administração do engenheiro Cristóvão Leite de Castro, a Companhia Caminho Aéreo Pão de Açúcar, através de contrato assinado com o Governo da Guanabara, teria que duplicar a linha aérea, que passaria a ser servida por dois bondinhos. A empresa resolveu, então, instalar novo e moderno teleférico, com quatro carros, cada um com capacidade para 75 pessoas. A obra, orçada em US$ 2 milhões, exigiu o desmonte de três grandes blocos de pedra do alto do Pão de Açúcar, pesando mil toneladas, e durou dois anos para ser concluída. No dia 29 de outubro de 1972 os atuais bondinhos começaram a funcionar.
Troca de cabos

Para a Companhia Caminho Aéreo Pão de Açúcar, as comemorações pelos 70 anos do teleférico começaram em 14 de junho de 2002, quando o complexo turístico reabriu ao público, depois de 75 dias fechado para a troca dos oito cabos de sustentação dos quatro bondinhos, em atendimento às recomendações internacionais de substitui-los a cada 30 anos. O investimento da empresa nesta obra foi de US$ 852 mil.
Também foram feitas melhorias para prestar atendimento ao turista com mais qualidade: os bondinhos ganharam novos vidros e piso antiderrapante; as estações receberam nova iluminação, novo mobiliário e tratamento paisagístico. Também as lojas foram remodeladas, apresentando com qualidade os produtos oferecidos aos visitantes. Um exemplo é o restaurante Estação Gourmet, acomodado num deque suspenso. Com menu assinado pela chef Cláudia Vasconcellos, o bistrô convida a apreciar uma das mais belas paisagens do Rio enquanto se degusta uma caipirinha frozen ou uma taça de vinho. Para acompanhar, sanduíches e pestiscos. Já aqueles que escolherem o sábado para visitar o cartão-postal encontrarão no cardápio do restaurante uma deliciosa feijoada.

Dicas:
Se você estiver hospedado na zona sul, poderá ir de táxi e pagar no máximo R$20,00 pela corrida. Vale a pena pedir para o taxista lhe aguardar para o retorno. Nos pontos turísticos do Rio tem alguns taxistas que gostam de cobrar valores acima do justo. Cuidado

O valor do ingresso custa R$44,00 e R$22,00 para crianças até 12 anos.
Na loja de souvenirs da estação do Pão de Açucar tem muitas lembrancinhas, porém muito mais caras que nas lojinhas de copacabana.

Cristo Redentor
O Cristo Redentor, símbolo da Cidade do Rio de Janeiro, foi eleito como uma das 7 Novas Maravilhas do Mundo Moderno, em votação realizada pela internet e por mensagens de celular, organizada pela New 7 Wonders Foundation, da Suiça, entre 21 monumentos participantes de todo o planeta. O cartão postal carioca de 38 metros, teve sua pedra fundamental lançada em 1922 e a inauguração em 12 de outubro de 1931, sendo a única maravilha brasileira.

E a escolha foi merecida. Do alto de seus 38 metros - e dos 710 metros do Morro do Corcovado -, o Cristo é a imagem da fé e da simpatia do povo carioca e completa, em 2007, 76 anos. Desde o ano de 2000, quando recebeu nova iluminação, o monumento e seus acessos vêm passando por um processo de revitalização. O ponto alto foi a inauguração do acesso mecanizado em 2002, com elevadores panorâmicos e escadas rolantes. Assim, não será mais preciso enfrentar os 220 degraus que levam ao pé da estátua.

O Cristo Redentor conta agora com três elevadores panorâmicos, cada um com capacidade para 14 pessoas. O acesso se dá por uma área que atende tanto os visitantes que chegam de carro quanto os que desembarcam na plataforma de trem da Estrada de Ferro do Corcovado. Também foram construídas passarelas metálicas, sustentadas por outra estrutura, com aproximadamente quatro metros de largura e quatro escadas rolantes, com capacidade de tráfego para 9 mil pessoas por hora. O passeio já começa aí, pois a torre, de 31 metros de altura, vai descortinar a primeira vista da cidade. Para completar o acesso à estátua, quatro escadas rolantes foram instaladas.

E antes mesmo de chegar ao Cristo, os visitantes já podem conhecer um pouco da história do cartão-postal. A Estação do Cosme Velho, totalmente revitalizada, transformou-se em um ambiente de lazer e entretenimento moderno e confortável. Uma nova área de embarque foi construída, além de lojas de apoio turístico, sala VIP e auditório. O grande destaque é o Espaço Cultural, onde se perpetua toda a rica história da Estrada de Ferro e do Monumento ao Cristo.

Dicas:
Combine um preço com o taxista para que ele o aguarde para retornar. O local é ermo o os únicos táxis que fazem ponto no local, costumam cobrar uma fortuna para levá-lo ao hotel. As pessoas acabam aceitando por falta de opção.

Faça um roteiro e reserve um único dia para conhecer o maior número de pontos turísticos possível, combine o preço com o taxista (de confiança).

Também é possível conhecer muitos lugares de metrô ou ônibus, é barato e seguro.

Dúvidas? Pergunte-me.

segunda-feira, 11 de maio de 2009

Rio de Janeiro: Lado A e Lado B.

Quando vier ao Rio, saiba que existem duas cidades distintas: A primeira é a Cidade Maravilhosa que o mundo venera com seus pontos turísticos como o Cristo Redentor, Pão de Açucar, Copacabana, etc. E a segunda é a cidade das páginas policiais que facilmente pode ser evitada. Informe-se, e você terá uma outra visão da cidade.